quarta-feira, 29 de março de 2017

Festival Potiguar de Menores 2017


Será realizado durante os dias 1 e 2 de abril no IFRN Parnamirim, a edição de 2017 do Festival que define os campeões estaduais de categorias menores e representante oficiais do RN nos Brasileiros de suas respectivas categorias.

O Campeonato é oficializado junto a CBX, sendo dividido nas categorias Sub18 (nascidos a partir de 1999), Sub16 (nascidos a partir de 2001), Sub14 (nascidos a partir de 2003), Sub12 (nascidos a partir de 2005), Sub10 (nascidos a partir de 2007) e Sub8 (nascidos a partir de 2009), absoluto e feminino, cujos campeões e campeãs terão direito a hospedagem no Campeonato Brasileiro de sua respectiva categoria.

REGULAMENTO

1 – Da Organização

O Campeonato Potiguar de Categorias Menores 2017 será realizado em Parnamirim-RN nos dias 1 e 2 de abril de 2017 com promoção e realização da Federação Norteriograndense de Xadrez, oficializado pela Confederação Brasileira de Xadrez tendo como local a sede do IFRN Parnamirim, localizado na Av. R. Antônia de Lima Paiva, 155 - Nova Esperança, Parnamirim - RN, 59143-455. O evento terá a direção de Maximo Igor Macedo.

2 – Das Categorias

Os participantes serão distribuídos nos naipes Absoluto (gêneros masculino e feminino) e Feminino nas seguintes categorias:

- Sub18 (nascidos a partir de 1999);

- Sub16 (nascidos a partir de 2001);

- Sub14 (nascidos a partir de 2003);

- Sub12 (nascidos a partir de 2005);

- Sub10 (nascidos a partir de 2007);

- Sub8 (nascidos a partir de 2009).

3 – Da Premiação

Serão distribuídas medalhas para os 3 primeiros colocados de cada categoria. Além do direito a hospedagem aos campeões no Campeonato Brasileiro de sua respectiva categoria.

4– Do Sistema e Ritmo de Jogo e Programação

O Campeonato Potiguar de Categorias Menores será jogado pelo Sistema Suíço, com auxílio do Programa Swiss Manager, em 5 (cinco) rodadas, com o Ritmo entre 30 e 60 min para cada enxadrista de acordo com a categoria a ser definido no Congresso Técnico, com as seguintes datas e horários:

Programação sub8 e sub10

Dia 01/04/17 (sábado) turno matutino

Congresso Técnico às 9h00

I Rodada às 9h30;

II Rodada às 10h30;

III Rodada às 11h30;


Dia 01/04/17 (sábado) turno vespertino

IV  Rodada às 14h00;

V Rodada às 15h00;

Encerramento e premiação após última rodada.


Programação Sub12, sub14, sub16, Sub18

Dia 01/04/17 (sábado) turno matutino


Congresso Técnico às 9h00

I Rodada às 9h30;

II  Rodada às 11h30;


Dia 01/04/17 (sábado) turno vespertino

III  Rodada às 14h00;


Dia 02/04/17 (domingo) turno matutino

IV Rodada – às 8h00;

V Rodada – às 10h15;

Encerramento e entrega de prêmios: após V Rodada.


5 – Dos Critérios de Desempate

Os critérios de desempate, por ordem de utilização, serão os seguintes:

1. Confronto direto;

2. Bucholz cortando o pior;

3. Bucholz sem corte;

4. Sonnemborg-Berger;

5. Maior nº de Vitórias.

6 – Dos Casos omissos

Os casos omissos nesse regulamento serão resolvidos pela direção da prova.

7 – Taxa de Inscrição

a) Até o dia 30 de março de 2017 o participante pagará uma taxa de inscrição de R$ 30,00 (trinta reais) para as categorias sub12, sub14, sub16 e sub18 e uma taxa de inscrição de R$ 20,00 (vinte reais) para as categorias sub8 e sub10. Deverá ser realizada depositando na conta da FEDERAÇÃO  NORTERIOGRANDENSE  DE  XADREZ CNPJ: 08.210.072/0001-75  DADOS  BANCÁRIOS:  Banco  Itaú    Agência:  0382  –Conta Corrente: 15077-9. O comprovante do depósito deve ser digitalizado e enviado para o e-mail, migormacedo@yahoo.com.br , juntamente as seguintes informações: Nome Completo, Data de Nascimento, CPF, endereço com CEP, e-mail e celular whatsapp.


8 – Do Material de Jogo

Cada participante deverá apresentar jogo de peças e relógio em bom estado de funcionamento, assim como caneta esferográfica de cor azul ou preta.

9 – Contato

Para qualquer solicitação ou informação adicional, faça contato através do e-mail migormacedo@yahoo.com.br ou pelos telefones: celular Oi (84) 8725-6232

10 – Das Observações

a) Todos os participantes deverão enviar a através da qual serão cadastrados à CBX, mas não é necessário estar em dia com a anuidade 2017;


11 – A inscrição nessa competição implica plena aceitação desse Regulamento.



Maximo Igor Miranda de Macedo

Presidente da FNX e Diretor da competição

segunda-feira, 27 de março de 2017

Mudanças na Lei da FIDE a partir de Julho de 2017

As mudanças foram aprovadas no 87º Congresso da FIDE realizado em Baku, Azerbaijão – set/2016 e entra em vigor em 01/07/2017 até 30/06/2021.

1) Peça tocada, peça jogada. Novo conceito importante: qualquer contato com a peça que não seja claramente acidental é toque intencional

2) Passa a ser imprescindível no empate de comum acordo que ambos tenham feito pelo menos o 1º lance.

3) Tolerância de atraso nas competições. Caso o tempo previsto para atraso de chegada dos jogadores no torneio não esteja previsto no regulamento, este tempo será zero. Atrasou (a rodada já começou), perde a partida.

4) Se durante a partida antes que tenham sido completados 10 lances pelos dois jogadores, descobrir-se que a posição inicial das peças estava incorreta,o jogo deve ser anulado e uma nova partida jogada. Completados os primeiros 10 lances, a partida deve continuar. (Já tinha nos ritmos Blitz e Rápido, agora no Standart)

5) Jogo começou com as cores opostas? continua jogando.

6) Usar as duas mãos para jogar é agora, irregular. (Roque, capturar peça, promover peão). O árbitro deve advertir o infrator e pode ainda, a seu critério, conceder 2 min. ao adversário.

7) No ambiente de jogo o celular é desligado e guardado. Celular tocou, perdeu. independente de coleguismos ou mesmo se o adversário quiser continuar a partida. 

Veja um quadro feito pelo A.I. António Bento com as mudanças completas.

http://www.cbx.org.br/files/downloads/Quadro_do_que_muda_em_%20julho_de_2017.pdf

quarta-feira, 22 de março de 2017

Por que Ensinar Xadrez nas Escolas?

EDUCAR é "dar um valioso presente, não um duro dever." (Albert Einstein)

A importância da aprendizagem e da prática do xadrez na infância e na adolescência vem sendo comprovada por inúmeras pesquisas realizadas tanto em países desenvolvidos como em países de terceiro mundo, além de fazer parte do currículo escolar básico em dezenas de países, entre eles: Angola, Armênia, Canadá, Cuba, Hungria, Israel, Iugoslávia, Alemanha, Suíça, Tunísia, Rússia, Romênia, Bulgária, França, entre outros. Atualmente, admiti-se que a atividade de xadrez favorece o desenvolvimento mental das crianças, além de lhes impor uma disciplina atrativa e agradável, quando ele é introduzido nas classes de baixo rendimento escolar, auxilia o desenvolvimento do sentimento de autoconfiança, visto que apresenta uma situação na qual o aluno tem a oportunidade de descobrir uma atividade onde podem se destacar e paralelamente progredir em outras disciplinas.

O ensino do xadrez nas escolas justifica sua existência porque está demonstrado que o xadrez:
É cultura: uma atividade lúdica de origem milenar que se tem distribuído por todos os países do mundo e que encerra um corpo de conhecimentos e experiências que constituem patrimônio cultural da humanidade.
Tem uma base matemática: a matemática é instrumento e linguagem da ciência, da técnica e do pensamento organizado.
Estimula o desenvolvimento de habilidades cognitivas tais como: atenção, memória, raciocínio lógico, inteligência, imaginação, etc...; capacidades fundamentais no desenvolvimento futuro do indivíduo.
Estimula a auto-estima, a competição saudável e o trabalho em equipe.
Pode ser utilizado como elemento estruturador do tempo livre do indivíduo.
Proporciona prazer em seu estudo e prática.Por ser um jogo de regras, dita uma pauta ética em um momento propício para a aquisição de valores morais.
Devido às suas múltiplas virtudes, contribui para a formação de melhores cidadãos.

Como bem definiu o escritor Johann Wolfgang Goethe, há mais de dois séculos: "O xadrez é um excelente exercício mental". Tal frase é comprovada por estudos como o da Universidade de Hong Kong, que provou por meio da pesquisa do Dr. Yee Wang Fung que os estudantes que jogam xadrez têm uma melhoria de 15% em provas de matemática após o início da prática.
Na Venezuela, o projeto Learning to Think Project concluiu que até mesmo o QI de uma criança pode ser aumentado por meio do treino do xadrez. Além disso, a pesquisa de William Levy, do Departamento de Educação de Nova Jersey, nos EUA, mostra que o jogo interfere também em questões pessoais, como a auto-estima e confiança.

Em um estudo realizado na ex-Alemanha Oriental, comparando o desenvolvimento de grupos de estudantes de diversas idades, separandoos em dois grupos: os que jogavam e os que não jogavam Xadrez, concluiuse que:
O Xadrez estimula a atividade intelectual e estabiliza a personalidade de crianças e jovens durante seu crescimento. Isso é evidente, sobretudo, na puberdade: crianças que jogam Xadrez apresentam menos crises decorrentes das transformações dessa fase etária do que as que não jogam.
O raciocínio lógico e a capacidade de cálculo são estimulados, produzindo excelentes resultados no desempenho escolar, com destaque particularmente notável nos casos da Física e da Matemática.
Em aspectos gerais, os alunos que jogam Xadrez apresentam nítida superioridade em força de vontade, tenacidade, memória e concentração.
O Xadrez ensina a criança a avaliar as conseqüências dos seus atos, tornando-as mais prudentes e responsáveis.

Também em pesquisas realizadas na Inglaterra, chegou-se à conclusão de que a concentração e a habilidade em formular e posteriormente concretizar planos no tabuleiro contribui significativamente para a tomada de decisões e execução das mesmas no jogo muito mais importante, que é o jogo da vida.

Quadro comparativo das características do Xadrez e suas implicações educativas

CARACTERÍSTICAS DO XADREZ
IMPLICAÇÕES NOS ASPECTOS EDUCACIONAIS E DE FORMAÇÃO DE CARÁTER
Concentração enquanto imóvel na cadeira
Desenvolvimento do autocontrole psicofísico
Fornecer um número de movimentos num determinado tempo
Avaliação da hierarquia do problema e a locação do tempo disponível
Movimentar peças após exaustiva análise de lances seguintes
Desenvolvimento da capacidade para pensamento abrangente e profundo
Encontrado um lance, a procura de outro melhor.
Empenho no progresso contínuo
De uma posição a princípio igual, direcionar a uma conclusão brilhante (combinação).
Criatividade e imaginação
O resultado indica quem tinha o melhor plano
Respeito à opinião do interlocutor
Entre várias possibilidades, escolher uma única, sem ajuda externa.
Capacidade para o processo de tomar decisões com autonomia
Um movimento deve ser consequência lógica do anterior devendo apresentar o seguinte
Capacidade para o pensamento e execução lógicos, autoconsistência e fluidez de raciocínio.

Objetivo do ensino de xadrez na escola:
O ensino do xadrez surge como uma boa opção, unindo o espírito inovador da instituição educacional e a forte imagem de intelectualidade que o esporte-arte oferece;
Ampliar o aprendizado do xadrez, potencializando o eixo esporte, considerando o desenvolvimento do intelecto das crianças e dos adolescentes;
Ensinar aos alunos a prática do esporte xadrez, auxiliando na formação de um pensamento organizado, desenvolvendo a imaginação, estimulando a criatividade.O xadrez contribuirá para a formação como cidadãos propondo mais estudo, mais matemática, mais esporte, mais ciência, mais preparo para a vida;
Envolver as crianças e jovens em uma atividade benéfica, que os afastará das ruas, evitando a evasão escolar;
Desenvolver no estudante uma atitude favorável em relação ao xadrez que permita apreciá-lo como elemento gerador de cultura;
Desenvolver no estudante sua capacidade de atenção, memória, raciocínio lógico e inteligência;
Garantir ao aluno a aquisição de conhecimento, habilidades e destrezas básicas necessárias para incorporação em sua vida ativa;
Permitir ao aluno estabelecer vínculos entre os conhecimentos e experiências enxadrísticas e a vida cotidiana, individual e social;
Favorecer a assimilação das características do xadrez que contribuam com o harmonioso desenvolvimento intelectual, moral e ético da personalidade e que propiciem sua autonomia cognitiva e sua capacidade de raciocínio;
Priorizar a resolução de problemas. O aprendizado orientado à resolução de problemas propiciará ao aluno a oportunidade de analisar, avaliar e propor alternativas de solução às situações da vida diária;
Contribuir para a elevação da auto-estima;Favorecer o desenvolvimento da linguagem enxadrística e sua habilidade de argumentação;Resgatar, para seu uso pedagógico, o aspecto lúdico desta disciplina. Tomar em conta de maneira equilibrada as diferenças individuais;Divulgar a prática do jogo/arte/ciência/esporte do xadrez, atraindo mais interessados;Atenção, raciocínio lógico e capacidade de resolver problemas, favorecem o desempenho escolar daqueles que o praticam e acrescenta na criança um sentimento de combatividade e superação saudáveis;

A implantação do xadrez visa desenvolver, de maneira interdisciplinar, habilidades como a atenção e a concentração, a capacidade de julgamento, a imaginação e a antecipação, a ativação da memória, a vontade de vencer trabalhando, a paciência e o autocontrole, o espírito de decisão e a coragem, a lógica matemática, o raciocínio analítico e sintético, a criatividade, a inteligência, a organização metódica do estudo e o interesse pelas línguas estrangeiras.
Quando inserido no ambiente escolar, o Xadrez encanta a criançada e aos jovens. Através de sua natureza lúdica, o Xadrez promove um sensível aprimoramento do rendimento dos alunos e pode ser associado a inúmeras matérias e temas do currículo, dando possibilidade ao aluno de progredir segundo o seu próprio ritmo, valorizando assim a motivação pessoal do escolar.

O ensino do xadrez nas escolas tem como finalidade “convidar” o aluno a trabalhar sua mente, forçando-o pensar, ativando o campo imaginário da criança fazendo-o refletir e repensar. Formas de ensino devem ser repensadas e a adoção do jogo de xadrez nas escolas propicia o desenvolvimento da aprendizagem e é medida que personaliza o direito social à educação. A utilização do jogo de xadrez como instrumento pedagógico e social, visa auxiliar o desenvolvimento escolar dos alunos envolvidos.

O xadrez merece crédito porque ensina as crianças o mais importante na solução de um problema que é justamente saber olhar e entender a realidade que se apresenta, ensinando a criança a assumir a responsabilidade por suas ações.

Incluir a modalidade na grade escolar não é tarefa difícil, porém, é preciso saber trabalhá-la, é uma ferramenta que a escola precisa aprender a utilizar. Não é à toa que a UNESCO mantém o Comitê de Xadrez Escolar, responsável por integrar a modalidade nas escolas e instituições de ensino e visar que a prática seja pedagogicamente produtiva.


XADREZ NA ESCOLA por Bruno Machado, 2014.